4 de abril de 2011

O sol


Chega sem avisar
Como se quisesse te ajudar
Sabe da sua inocência, dos nuances do espírito
Te toca devagarinho sem querer lhe assustar
Sabe, criação do Divino...
Penetra tão profundo que sonda a sua alma
E te acorda trazendo todo o adorno da calma
Preparando para mais um dia de glória


É uma luz que ilumina, que penetra, que ensina
Um raio que vive desde o princípio da história
Um sol radiante que amanhece todo os dias
Pra te despertar e mostrar... olha completei a trajetória


Te persegue sem querer te julgar
Mas as vezes muda a intensidade pra você o notar
É um calor que conforta, e se dissipa devagarinho
Deixando você livre, para a noite se aquecer de vinho
Ou quem sabem de carinho?
Enfim...Traz no fim da tarde o arrebol
Como se tentasse lhe dizer
Estou indo, Já é o por do sol!


Esse poema foi inspirado na seguinte frase:

Você pode facilmente perdoar uma criança por ter medo do escuro. A real tragédia da vida, é
quando os homens tem medo da luz!


(Platão)

Compartilhe