2 de outubro de 2009

Relacionamentos, amor ou prazer?

Relacionamentos, amor ou prazer?

Assistindo ao noticiário de sempre, uma reportagem chamou-me a atenção. Nela relatava o número de divórcios e casamentos ocorridos no país. Fiquei surpresa com a frequência e rapidez que acabam e começam os relacionamentos entre as pessoas.

Ainda assistindo ao jornal, vendo algumas entrevistas, percebi que na maioria das vezes as pessoas que frequentam locais como "baladas" e festas acabavam "ficando" com duas ou mais pessoas na mesma noite e ainda assim, procuravam algum relacionamento sério. Vendo isso, questionei: "O que faz alguém gostar de outro?" Seria a beleza, o caráter, a busca da felicidade, ou simplesmente, prazer?

Essas perguntas levaram-me a uma reflexão: Nós seres humanos estamos tão acostumados a utilizar objetos e a curto prazo dispensá-los, ou seja, consumir e jogar fora que acabamos fazendo o mesmo com as pessoas. Isso é evidenciado nos casamentos atuais que duram de três a cinco meses e namoros que duram menos ainda. O que me fez refletir: "Será que realmente existiu amor, ou foi apenas uma aventura curta?

Tentando entender isso, pensei: Por que sempre procuramos alguém que possua as mesmas características e gostos pessoais que os nossos, quando é provado que os opostos se atraem? Na verdade, a correria do cotidiano capitalista tem deixado as pessoas mecanizadas, perdendo os valores humanos, fazendo com que elas olhem apenas para o belo, o que as agradam momentaneamente. Passado isso, torna-se a voltar o vazio e a solidão interior.

Percebendo isso, acabei lembrando de uma frase do filósofo alemão Kant: "Todos os juízos de gostos são juízos singulares", ou seja, julgamos belo o que nos proporciona prazer, consequentemente, muitos acabam confundindo com amor. Após um curto período de tempo, isso acaba, transformando -se, assim, nos divórcios frequentes. Mas afinal, quais as consequências disso? E será que estamos usando e descartando as pessoas como lixo?

Descobri que os relacionamentos atuais têm sido uma forma falsa de amor , um disfarce da felicidade, mais um consumo descartável, fazendo com que as pessoas procurem o amor de um jeito errado, como exemplificado na musica "Cigarras" da banda Forfun, "Nem dinheiro nem prazeres vão trazer o que você está procurando".

Mesmo após refletir tanto, ainda me restam dúvidas: o que leva então, as pessoas a gostarem das outras? O que é realmente amor e como encontrá-lo? Enfim, será possível construir um relacionamento sério?


Jocasta.O.M
Crônica argumentativa.

Compartilhe