25 de agosto de 2014

Saudade é uma forma infeliz de felicidade!





Olá queridos, como vão? Eu resolvi falar de saudade, mas não de uma forma filosófica ou conceituada (escreverei outra hora de outro jeito), escrevo agora apenas o que sinto, raramente falo de mim e dos meus sentimentos, mas a saudade que me tem hoje merece ser compartilhada.

Saudade é um sentimento estranho, sentir saudade as vezes dói, mas em geral é bom, é sinal que algo ou alguém em algum momento lhe marcou e você traz consigo essas boas lembranças.
Sabe aquele poema famoso de Camões "Amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói e não se sente?", posso transferir esse amor em saudade, uma forma infeliz de felicidade e dizer que "saudade é um contentamento descontente, é um cuidar que ganha em se perder..."

Saudade, é esse tempo  passado que as vezes te prende, as vezes machuca e as vezes te preenche, traz lágrimas aos olhos, de tristeza e alegria, uma dualidade inexplicável, é querer ter o que já se teve, é reviver em pensamento, é como um sonho bom que você acorda e quer que aconteça, ou como um pesadelo que ao acordar você quer agradecer por ter sido só um sonho. É essa saudade que me mata um pouco, que me traz algo de alguém que já se foi, mas permanece em mim... É saudade de um sorriso, de um abraço apertado e de um brilho no olhar inesquecível, é saudade de uma vida... É apenas saudade, é tudo isso que chega sem avisar, de repente,  invade!

Saudade pode ser a única coisa boa em que se pode matar e se sentir feliz, mas quando isso não é possível ela pode lhe torturar de um jeito doloroso. Sinto saudade de quem não posso ver mais, nem contemplar a presença e tenho que me contentar com lembranças, apenas. É triste, mas você aprende com o tempo que é algo natural da vida e que em algum momento vai ter que passar por isso novamente, vai ter que aguentar o peito apertado, a lágrima salgada e sentir saudade. Vai rir e chorar ao mesmo tempo e se arrepiar com uma simples música que traga boas lembranças.

Essa música e esse texto é homenagem a alguém especial que sempre me traz essa saudade, alguém alegre como eu, alguém que não sabia dizer não, alguém que viveu cada momento como se fosse o único, alguém que encontrou a felicidade nas coisas simples, em uma vida simples e extremamente bonita. Alguém com uma presença tão maravilhosa que Deus quis ter mais perto e o levou mais cedo. Alguém mais que amigo, um irmão.

"_Sabe irmão de vez em quando bate essa saudade do seu sorriso, do seu abraço, das nossas longas conversas e da sua voz que me ligava só pra dizer bom dia, saudade da sua presença. Mas sei que onde estiver estará seguindo o seu coração como nesse trecho que me lembra você."

Se esse alguém estivesse aqui e pudesse ler esse texto tenho certeza que seu conselho seria fazer a vida valer a pena e aproveitar cada momento que você puder com quem você ama, porque a vida é curta e o amanhã pode não chegar, então deixo esse trecho da música One Life acima do cantor britânico James Morrison como uma homenagem e uma reflexão.

"Se eu soubesse ontem o que sei hoje
Onde eu estaria amanhã?
Não deixo minha alma de lado
Eu faço o que for preciso
Porque esse tempo é emprestado

Eu tenho uma vida, uma vida, uma vida
E vou vivê-la
Eu tenho uma vida, uma vida, uma vida
E eu vou vivê-la direito

Você diz que quanto mais pensa, mais sabe o que é certo
E menos você faz o que sente por dentro
Então não vou fingir que eu sempre sei
Eu apenas sigo o meu coração onde quer que ele vá

E talvez não acerte sempre
Pelo menos estou vivendo
Porque eu só tenho uma vida, uma vida
Eu só tenho esta vida"

Para finalizar deixo apenas um conselho, aproveite os momentos com quem você ama enquanto há tempo, pois esse tempo é emprestado, um dia ele acaba e o que sobra é essa saudade inexplicável.

Um abraço!



Compartilhe